"É a vida, mais que a morte, a que não tem limites."

terça-feira, 2 de setembro de 2008

... doce nome de filha

Eu já disse em outro post que minha infância tem a luz da casa dos meus avós paternos.
Minha menina de cachos tem o mesmo da minha avó materna. Elas nunca se encontraram... Mas eu conto para minha menina histórias da bisavó.
Minha avó era muito doce. Eu era um criança muito quieta e ela sempre me entendeu. Gostava de ficar em cima da cama no quarto dela enquanto era arrumado e ver a poeira dançando nos raios de sol. Estou nesta cama na minha foto preferida.
Ela me contava sobre sua infância e juventude, histórias que me encantavam. Filha mais nova de uma família bastante tradicional na cidade, suas roupas eram feitas por uma modista copiando figurinos que vinham de Paris (eu ainda tenho uma revista com estes figurinos). A casa dos meus avós era cheia de pequenos tesouros escondidos em armários e gavetas, xícaras chinesas delicadas como asas de borboletas, vidros de perfumes que cheiravam como um jardim inteiro, broches e enfeites vindos de lugares exóticos...
Minha avó era capaz de pequenos gestos cheios de significado. Cada neta tinha uma xícara especial para tomar café com leite e para cada uma ela fazia um bolo especial (meu irmão veio bem depois). Cozinhava divinamente. Também era muito bem humorada, gostava de contar piadas, adorava festas e estava sempre lendo, romances históricos que eu adorava ir comprar com ela no Mercado. Era muito sincera, para desgosto do meu avô, e histórias a respeito desta sinceridade fazem parte das lendas familiares.
Esta minha avó serena, que todos amavam, não teve uma vida fácil, no entanto. Perdeu dois filhos, um ainda criança, de sarampo. E outro, meu tio mais bonito e inteligente, morreu muito jovem em uma tragédia. Imagino que para ela e para meu avô a vida não tinha tantas cores quanto as que eles nos davam.
Ela tocou a vida de muita gente com sua delicadeza. Espero que minha menina seja, como ela, uma verdadeira dama.
(Minha outra avó tem nome de flor, mas é na verdade uma velha e bela árvore. Em sua sombra se abriga uma grande família, unida pela sua presença).

5 comentários:

Danny disse...

Nossa Nina, fico imaginando tudo enquanto leio seu blog, é tão gostoso, pelo jeito como escreve já tinha percebido que vc é meito timida, gostaria de te conhecer, porque não coloca fotos suas e da sua menina de cachos? Um beijo!!!

Heloísa disse...

Nina,
Como vovó que sou, adorei seu post.
Espero que minha netinha também tenha doces lembranças de sua vovó.
Beijos
Heloísa

Fabrícia disse...

Nossa que belissimo texto...fiquei arrepiada. Linda lembrança da sua querida avó.
Bjs.

Nina disse...

Vovó Helo,

Eu tive a sorte de conhecer minhas duas avós e meus dois avôs.
A minha menina só conhece os meus pais. Os pais dos pai já se foram...
Mas ela tem a sorte de ter uma Bisa! Minha avó querida com nome de flor que nos dá força e fé a todos!
beijos!

Anônimo disse...

Esse texto também é maravilhoso!

V.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails