"É a vida, mais que a morte, a que não tem limites."

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

DANA GIOIA

Descobri um poeta. Para quem gosta tanto de poesia como eu, essa descoberta é ao mesmo tempo um júbilo e uma vergonha. Porque na verdade trata-se de um poeta americano premiado e conhecido internacionalmente, que eu encontrei lendo o blog do Marcelo Coelho. No blog há alguns poemas traduzidos para o português (dias 01/12 e 30/11).

Gioia tem uma história interessante, era um executivo, chegou a vice-presidência da General Foods, mas desistiu do mundo corporativo para escrever. Ele também é um crítico reconhecido, tradutor, especialista em literatura e ocupou o mais alto cargo no National Endowent for the Arts até o início desse ano. Além de poesia, Dana Gioia escreveu um libreto de ópera, "Nosferatu".

Eu gostei muito da musicalidade de seus poemas. Encontrei ecos de J. L. Borges, de W. B. Yeats. Não me arrisco a traduzir um poema, então peço desculpas por colocar aqui um poema no oroginal, em inglês. Para quem não lê o idioma, recomendo o link do blog do Marcelo Coelho que coloquei acima.

Summer Storm
We stood on the rented patio
While the party went on inside.
You knew the groom from college.
I was a friend of the bride.

We hugged the brownstone wall behind us
To keep our dress clothes dry
And watched the sudden summer storm
Floodlit against the sky.

The rain was like a waterfall
Of brilliant beaded light,
Cool and silent as the stars
The storm hid from the night.

To my surprise, you took my arm–
A gesture you didn't explain–
And we spoke in whispers, as if we two
Might imitate the rain.

Then suddenly the storm receded
As swiftly as it came.
The doors behind us opened up.
The hostess called your name.

I watched you merge into the group,
Aloof and yet polite.
We didn't speak another word
Except to say goodnight.

Why does that evening's memory
Return with this night's storm–
A party twenty years ago,
Its disappointments warm?

There are so many might have beens,
What ifs that won't stay buried,
Other cities, other jobs,
Strangers we might have married.

And memory insists on pining
For places it never went,
As if life would be happier
Just by being different.

Para saber mais: Dana Gioia

7 comentários:

Heloísa disse...

Nina,
Sempre estamos descobrindo coisas novas, não?
E nos surpreendendo.
Beijo.

Nina disse...

Sim, Heloísa!

E o que poderia ser melhor do que descobrir poesia?...

beijo

Diálogo de Pedras disse...

Olá Nina!

Obrigado pela visita e comentário.

Sou novato por aqui, mas com muita vontade de escrever e aprender.

fui...

Marcia disse...

ai... eu também não conhecia.

Nina disse...

Olá, Roberto,

obrigada pela visita!

Márcia,

Pois é, e ele é tão bom, não é?

beijo

Andarilho disse...

Adorei esse poema.

Nina disse...

Oi, Andarilho!

Eu também adorei. Me identifiquei, até (what if...).
Seja bem vindo ao blog.

beijo!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails