"É a vida, mais que a morte, a que não tem limites."

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Degustando a vida

Minha menina não gosta de batatas fritas. Nem de salsicha.
E eu tenho muita inveja dela!

Desde pequenina que eu procurei ensinar a ela hábitos alimentares saudáveis e também o prazer de comer. Hoje ela faz suas próprias escolhas e não tem medo de experimentar sabores novos. Embora quase sempre desista de continuar comendo na primeira vez...

Já aconteceu de irmos ao supermercado e as pessoas ficarem me olhando com cara estranha enquanto ela insistia em voz alta para eu comprar couve-flor e eu negava (se não, tem couve-flor todo dia em casa!). Mas na maior parte das vezes ele é uma menininha muito feliz e saudável, que gosta de arroz, feijão, salada de tomate e alface e uma carninha (ou frango, ou peixe). E couve-flor, claro!

Na escola dela o lanche é igual para todos - eu acho ótimo! E tem também o "fruit time", com três tipos de frutas todos os dias. Nem preciso dizer que ela é a "Maria Frutinha"... Hoje mesmo ela ficou toda feliz porque encontramos morangos orgânicos para comprar. Aliás, morangos só consumo orgânico. Ela já aprendeu isto e às vezes me embaraça perguntando para as pessoas que oferecem a fruta ou receitas com ela perguntando "é orgânico?". Diante da negativa, ela diz "então não quero".

Eu adoro comer fora e sou fã número um de cafés. Gosto de observar as pessoas. Minha filha é minha melhor companheira nestas horas. Por isto, desde bem pequena, ela sabe que a regra é:
Ficar na cadeira. Não pode levantar.
Simples assim. E funcionou e funciona. Ela se interessa pelo que come, participa da refeição, conversa. Se entretém com um brinquedo, ou desenhando. Assim, é convidada por todos para todos os lugares, e conhecida por ser uma criança educada (sem deixar de ser alegre e feliz).
Mas claro que sempre que possível, procuro escolher lugares com espaço para crianças. Aqui na Ilha ha dois lugares imperdíveis:

Café Kiwi
http://cafedasquatro.blogspot.com/2008/09/kiwi-o-caf.html
Além das receitas com ingredientes orgânicos, decoração charmosa e da simpatia do staff, ainda tem um lousa e muitos lápis e papéis para as crianças. Amo!

Pizzaria Lorenzos
http://www.pizzarialorenzos.com.br/
Para mim este é o melhor endereço "secreto" daqui. Tudo é encantador, da entrada com uma ponte e que passa no meio de pedras, à surpresa de ver o proprietário cantando um tango. A vista é linda e o salão foi feito pensando em todo mundo: desde os casais (reserve a mesa 13), a grupo de amigos e famílias (mesas 1 e 2). Mas o que mais encanta minha filha e outras crianças não é nada disto. Nem mesmo o excelente espaço com livros e brinquedos. O grande charme do local é que as crianças podem fazer sua própria pizza, desde a massa à cobertura. Imperdível! (E sim, a pizza é uma delícia, e os preços, justos!)


Para saber mais - algumas outras experiências gastronômicas que recomendo:
http://www.slowfoodbrasil.com/
http://www.restaurantepitangueiras.com.br/
http://www.deliciasportuguesas.com.br/
http://www.tocadourso.com.br/
http://www.ostradamus.com.br/

15 comentários:

vida cotidiana disse...

Legal essa consciência nas crianças, é tão importante. Mas eu não tive sorte, meu filho ao entrar na escola que era integral, ao ver os amigos rejeitando a comida como legumes, frutas, ele passou a não querer comer. Hoje o tempo passou e ele come, mas sempre com desconfiança.

vida cotidiana disse...

Passa lá no Vida Cotidiana tem selinho para você, bjs

Heloísa disse...

Nina,
Suas indicações de site são ótimas. Acho que já estive em algum desses restaurantes. No Ostradamus é quase certo.
Como sua menina, a minha também foi acostumada com alimentos saudáveis, e adora frutas. Você acredita que até hoje ela nunca bebeu coca-cola?
beijos

Danny disse...

Gentiiiii, tô pasma, e com invejinha (boa tá). A Nathalia gosta de arroz e feijão, mas os legumes eu tenho que amassar e esconder junto pra ela comer, e carne ela só come churrasco e linguiça ela gosta.
Frutas ela come maça, banana, melância e mamão.
Mas ela adora salgadinho e bolacha (não recheada).
Refrigerantes ela gosta mas não é viciada, ela prefere sucos.
Mas em relação ao comportamento é dificil, quando saimos para comer em algum lugar é um transtorno, ela não quer ficar quieta, e confesso que não sei como fazer ela se comportar nesses lugares, me dá um dica Nina, desde quando a sua linda menina de cachos se comporta bem??? A Nathalia tá com 02 anos e 05 meses, nessa fase a sua princesa já era comportada????
Como faço pra ela gostar de couve-flor??? uahuahauahuahuahaua
Beijus e parabéns por sua princesa que deve ser uma graça de criança!

Nina disse...

Ana,

Pois é, nas outras escolinhas o lanche da minha menina era um dos únicos diferentes, hahahaha! Mas como ela passava parte do dia comigo, eu conseguia convencê-la que saudável é melhor. E outras coisas são do paladar dela mesma, como não gostar de batata-frita.

(ADOREI o selinho!)

beijo!

Nina disse...

Helô,

o Ostradamus é uma das poucas "unanimidades" que eu concordo, ha que tendo a desconfiar de tudo que a maioria gosta, hahahahaha!

Eu tentei não dar refrigerantes para a minha filha. O que aconteceu foi que parte da família passou a dar "escondido". Um dia a peguei bebendo coca-cola de uma garrafa pet de 2 litros "no bico". Aí achei melhor liberar (com restrições). O resultado é que, podendo escolher, ela sempre prefere suco!!!

beijos e melhoras para a Isadora

Nina disse...

Danny,

Acho que em primeiro lugar eu tenho sorte. Minha menina nasceu pronta e eu só tenho que cuidar para não estragar, hahaha!

Eu nunca escondi os legumes. Até mesmo as papinhas eu fazia com pedacinhos (sem bater) e temperada com cebola e alho. E nunca adocei sucos ou frutas. Até hoje ela não gosta de nada adoçado.

Ela me vê comendo, peço ajuda a ela para escolher os legumes e verduras no supermercado, mostro como prepara... E incentivo a experimentar, digo que ela vai ficar com a pele bonita, o cabelo vai crescer brilhante, vai ter mais energia para brincar... E assim vai.
Ela não gosta de tudo, mas isso é normal. Experimentando ela vai construindo suas preferências.
Tem coisas que eu não compro nunca (salgadinhos, bolachas, balas... ela só come raramente e fora de casa). Doces, bolos e biscoitos eu mesma faço. Uso sempre um pouco de trigo integral, ingredientes orgânicos, açúcar mascavo. E gosto de ir com ela a feiras e mercados.
Eu adoro comer, hahahaha! E sou adepta do "slow food".

Quanto a se comportar, tenho até vergonha de falar... Eu sou bem rígida com regras. Nunca cedo. Acho que deixa a criança confusa, sem saber porque às vezes pode e às vezes não. Ela se comporta em restaurantes desde sempre, porque eu nunca deixei que ela saísse da cadeira. Nem uma vezinha. A não ser em locais com espaço para crianças. Devo dizer que parte da família tem dó da minha menina... Mas como é a mesma parte que me em determinadas ocasiões só convida ela e não as outras crianças, deixo para lá...

Eu acho que cada família tem sua própria "filosofia" de vida e que não existe o certo ou errado. E pelo que vejo, sua família é ótima e a Nathalia, uma graça de criança. Ativa e feliz.
Mas se permite dar uma dica, leve sempre algo para a Nathalia se distrair. Papel para desenhar, brinquedo... Tenho uma amiga que leva um mini dvd...
Faça "treinos" em lugares menores e de atendimento mais rápido, como cafés. E explique as regras para cada situação com poucas palavras assertivas.
Depois me conte!!!!

beijos grandes!!!!!

Manuzica disse...

Oi, Nina...

Obrigada p/ visitinha.

Poxa, quem dera a minha filha tivesse essa consciência. Na verdade, eu tivesse essa consciência para poder passar pra ela. Tenho péssimos hábitos alimentares. Como mta besteira, sou viciada em coca-cola, doces....mas graças a Deus isso tá mudando. Maridão não abre mão de ter salada em casa sempre que faço almoço, e claro, o suco da fruta. Tomara que eu entre na dele e esqueça de vez a danada da coca. srrsr

Bjocas!!!

Danny disse...

Querida Nina, acho que vc poderia montar uma apostila e postar no blog, gostaria de ser mais rígida com a Nathalia, mas simplesmente não consigo, acho que já fui dominada, tenho que admitir, ela é muito carinhosa, querida, e é obediente as vezes, mas tem vezes que fica terrível e apronta, eu brigo, mas acho que não sei ser brava e daeh acho que ela fica com medo na hora e depois já passa.
Vou tentar essas alternativas que vc falou sobre levar brinquedos e desenhos para pintar. Bjs!

Nina disse...

Manuzica,

Obrigada por retribuir!
Volte sempre!

Sabe, os hábitos da minha filha são bem melhores que os meus, hahaha!

beijos!

Nina disse...

Danny,

Apostila?? Como assim??? :O

Sabe, acho que autoridade não é ser brava, mas ser firme.
E eu sou um "burro empacado". Não é não e pronto, hahahaha!

Mas eu e ela temos um lema:
VIVER É MUITO BOM!

Isto é o mais importante, sempre!

beijos!

Danny disse...

Tava brincando, falei sobre fazer uma apostila com regras a serem seguidas... pelas mães, rs, porque somos muito moles (algumas).
Concordo que ser firme não é ser brava.
Cada dia te admiro mais sabia??!! Bjs

Nina disse...

Danny, seu último comentário me deixou com lágrimas nos olhos.

Claudia disse...

Oi Nina,

Impressionante como eles aprendem rápido a escolher e decidir, mas são uns espelhos e suas escolhas estarão sempre diretamente ligadas as dela.

Adorei o blog e o nome é um charme.

Obrigada pela visita,

C.

Nina disse...

Claudia,

seu blog me encantou, vou voltar sempre!

beijo!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails