"É a vida, mais que a morte, a que não tem limites."

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

De crianças e andorinhas

Eu sou uma árvore.
Cresci espalhando meus galhos em muitas direções, cada vez mais alto. Mas entre viagens e mudanças de endereço, lancei minhas raízes cada vez mais fundo na cidade do meu coração.

Eu e minha menina ficamos dez dias por lá. Ela absolutamente feliz por não ser mais ilha, por estar rodeada de tantas crianças, bichos, avós, tios, tias... Alegria sem tamanho!

Foi aniversário de 15 anos da minha sobrinha linda. Ela foi minha primeira filha, a criança que me ensinou o amor acima de todas as coisas. Eu me perguntei algumas vezes se seria capaz de amar outra criança tanto quanto ela. E aprendi que o amor se multiplica.

Lá estava sol e calor. Minha filha nadou muito, até aprendeu com o Tio João a "nadar" sem bóia. Uma graça a coragem dela, tão destemida, tentando de novo mesmo quando afundava. Em uma noite quente e perfumada, sentada no meu colo, ela viu vagalumes pela primeira vez.
Tivemos ainda a sorte de participar da celebração dos 30 anos de casamento de meus tios, que aconteceu no lugar mais mágico que conheço. Minha menina neste dia dormiu lá, "sem mãe e sem pai", e se divertiu muito! Ficamos as duas orgulhosas, porque ela não chorou, ao contrário!

E no sábado pude fazer com ela e com as gêmeas o passeio que fazíamos quando morávamos por lá. Ela pediu porque não se lembra mais... Dois anos só!
Fomos à praça, comemos pipoca e paçoca de pilão (íncomparável), ao Mercado Municipal, à Estação Ferroviária... E eu e minha mãe vimos o velho pelos olhos dos novos. E tudo ficou ainda mais lindo!

Na chegada e no dia anterior à volta, ficamos na casa do Vovô. Outra realidade, cidade grande, apartamento pequeno. E ela mais uma vez apreciou a experiência e fez muita bagunça com o meu pai!

Agora, estamos de novo na Ilha. E para mim ficou a imagem das andorinhas que entravam e saíam do teto da casa, tão parecidas com as crianças que estavam ali, em sua algazarra, liberdade e beleza.


Para saber mais:

http://www.agostinhodapacoca.com/

7 comentários:

vida cotidiana disse...

Que passeio bom, teve um gostinho de lembranças e deixou um leve aroma de quero mais, tô errada? bjslinda

Danny disse...

Fiquei imaginando toda a viagem, e tenho certeza que foi maravilhosa, sua linda menina de cachos deve ter se divertido muito. Adoro viajar com a Nathalia, se bem que só vamos pra praia, mas pra ela já é o melhor passeio do mundo.
Maravilhoso mesmo é estarmos junto com quem amamos né.
Estava com saudade dos seus post. Beijus flor!

Heloísa disse...

Nina,
Texto lindo, cheio de sentimentos.
beijos

POPI by Paula disse...

Delicia de texto
acalmei no passeio...
bjus no coração
Paula

Nina disse...

Gente, desculpem minha ausência dos comentários nos blogs de vocês (que eu adoro...).
Tem um monte de coisas acontecendo no momento...

beijos, beijos, beijos!!!

Noémia disse...

Gostei imenso da sua maneira de escrever.
Essas viagens de saudade são as melhores. Encontros e reencontros e o cheiro das coisas conhecidas partilhadas com a sua menina devem ter feito dessa viagem uma coisa inolvidável!

Nina disse...

Noémia!

Obrigada pelas palavras! Mesmo!
Adorei seu blog!

Volte sempre!
bjo!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails