"É a vida, mais que a morte, a que não tem limites."

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

DICOTOMIA


Além da tristeza, tragédias me dão o sentimento de urgência.
E se não couber tanto amor? E se não houver tempo para tanta vida? 

Nesse momento, calma e paciência se fazem necessárias. É a pausa. Mas então vem esse susto, que traz consigo a vontade insatisfeita de abraços e pertencimentos. Estreito minha menina nos braços, e meu coração se alarga de esperas. 

O mar que existe dentro de mim se derrama.

(Enquanto isso, o céu se alegra ao receber Gabriela entre seus anjos mais belos.)

http://www.youtube.com/watch?v=XU6UdVI9B7I

9 comentários:

Heloísa disse...

Nina,
Os dramas, as tragédias, as perdas, sempre nos fazem pensar no tempo. No pouco tempo, na passagem rápida do tempo.
Mas não há como fazer valer a urgência. Não há como antecipar nada.
O jeito é ir vivendo, e dar tempo ao tempo.
Beijo.

Nina disse...

Foram duas notícias de mortes trágicas de jovens conhecidas hoje. Muito triste. Fiquei abalada. O que pode ser pior que perder um filho??

Renata disse...

Você escreve de um jeito lindo demais!
Abraçe muito sua princesa! Beijinhos no coração das duas!

Heloísa disse...

Nina,
Fui visitar o blog da Gabriela e fiquei comovida. Muita tristeza!
Beijo.

Marisa disse...

Sei exatamente o que você está sentindo Nina. Essa urgência de amor muitas vezes me pega, quando tenho a sensação de que o tempo está escorrendo pelas minhas mãos, de que estou vivendo os melhores momentos com meus filhos e de que, com certeza, vou sentir saudade disso no futuro. O amor é tanto, que a gente ama sabendo que já vai fazer falta. Beijo grande querida, e a certeza de que o tempo cura quase tudo, e ameniza muito a nossa dor!!!

Marisa

Danny disse...

Oi Nina, essas notícias sempre nos abalam, principalmente quando são jovens os envolvidos, perder alguém é sempre doloroso.
Também sinto necessidade de estar perto dos meus amados quando fico sabendo de notícias desse tipo, sinto morte tão perto, dá um medo!
Espero que fiquem bem!
Bjs!

RMG disse...

Nina,

Conheço a dor da perda, não apenas de entes queridos, conheço a dor da perda de quem não "poderia" ir antes de nós. Não digo isso para que sirva de consolo, nada nos alivia das dores precoces, exceto vivê-las e consumi-las em seu luto.

Quanto ao tempo, me repito, ao tempo permita-se ser o que ele lhe permite. Tudo tem o seu tempo (Ec. 3). Se é tempo de prantear, que se cumpra e não seja adiado. De resto, lembre-se de que não estamos sós e que dividir o fardo torna a tarefa menos penosa.

Cuide de não se abater e lembre-se de quem pode dividir o fardo com você.

RMG

Nina disse...

Obrigada, Roberto, sempre e para sempre querido.

Beijo

Nina disse...

Obrigada, Roberto, sempre e para sempre querido.

Beijo

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails