"É a vida, mais que a morte, a que não tem limites."

domingo, 16 de agosto de 2009

ÂNCORA E VELA

Segue um belo, muito belo, poema. Pedi e obtive autorização do autor para publicá-lo aqui no blog. E vou sempre me lembrar da noite linda em que li esse poema pela primeira vez.

Eu prefiro as velas. Um porto. E um farol.

E você?

ÂNCORA E VELA
Roberto Marinho Guimarães

Há quem seja
Na vida da gente
Âncora
Ou vela.

Optamos pela âncora à vela
Na maioria das vezes.

Âncora sugere segurança.
Vela, desafio.

Âncora detém
Na linha d’água
Morta a esperança

Vela mantém
No paradoxo da incerteza
O amadurecimento da alma,
A satisfação de viver e
Não permitir que, ao largo, a vida passe.

8 comentários:

Angélica disse...

Nina,

Que lindo!
Espero encontrar muitas velas em minha vida!

Patrícia Angélica disse...

Nina,

Que lindo! Parabéns ao autor!
Confesso que preciso de uma âncora urgente! Só quero me sentir segura.

Beijos

Heloísa disse...

Nina,
Precisamos das duas: âncora e vela.
Beijos.

Nina disse...

Angélica, Patrícia, Heloísa,

Muito lindo, mesmo, não é?
Interessante como as visões são diferentes...
Pra mim, a segurança está no porto, de onde posso partir e também voltar, mas livre para decidir.
E também no farol, a me guiar.

beijos a todas!

3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Oi Nina,

Lindo poema mesmo.

Fiquei passada com o seu comentário lá no blog, preciso rever As Pontes de Madison!!!!! Me explica que argumentos os homens usam?

Beijos,

Bela - A Divorciada

3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Oi Nina,

Entendi! E faz todo sentido: eles têm pavor de serem traídos mesmo.

Vou fazer o teste depois. Ótima observação.

Beijos,

Bela - A Divorciada

Lara disse...

Nina,

Que bonito!
Eu também prefiro ser vela.

Nina disse...

Oi, Lara!

Concordo com você, é lindo!

Volte sempre ao blog,

bjo

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails