"É a vida, mais que a morte, a que não tem limites."

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

A RODA DA FORTUNA

Hoje estou triste porque ninguém nunca me escreveu um poema.

Começo onde termino. Uma vez li esta frase em um livro, e não a esqueci. Estou de volta ao mesmo ponto. Tenho a sensação que minha vida deu um giro de 360º. Volto a ser assombrada por dores antigas, revividas pelo que devia ser novo mas desnudou-se em um lugar já visitado.
Continuo buscando o caminho da mudança, enquanto me esforço para voltar a viver segundo os axiomas que me guiavam. Mas talvez meu conhecimento estivesse apoiado em mentiras sobre a vida e sobre mim mesma. Que sou mais frágil do que pensava ser.

(Contudo, tenho sempre comigo, dentro da carteira, uma carta de amor.)

15 comentários:

Heloísa disse...

Nina, Nina,
Não se assombre com coisas antigas.É daqui prá frente. É hoje, e você vai conseguir. Se eu fosse poeta, faria uma poesia para você.
Beijos.

Nina disse...

Obrigada, Heloísa, pelo carinho de suas palavras!

Às vezes a melancolia do inacabado me assalta. Logo passa! Você tem razão, é daqui prá frente.

beijos grandes!

++ Rodolfo Araújo ++ disse...

Como assim??? Já escreveram poemas para as mulheres, as mães, as filhas, as namoradas, as esposas, as amantes, as bonitas, as lindas, as mais lindas ainda, as loiras, as ruivas, morenas, risonhas, animadas, tristes, alegres...

Você pode escolher um monte pra você! E trocar por esses lugares velhos e empoeirados que só existem para nos lembrar que existem lugares velhos e empoeirados.

Velhos axiomas te guiam para lugares que você já foi. Não é preciso guia para ir onde já foi. Então jogue esses axiomas fora (nome feio, parece axila!) e colha, ou melhor, invente um monte de outros novos.

E como a gente pode dizer que apóia coisas sobre mentiras, se a gente não sabe qual parte é verdade...?

Beijo, Rodolfo.

ROSANA VENTURA disse...

Olá obrigada pela visita, e sim, achei lindo o texto e coloquei no meu Blog ( com seus devidos créditos é claro!)!
Adorei seu cantinho!
bjos

Alexandre C. Serpa disse...

Bem, não é um poema per se, mas psara muitos vale mais do que isso, e é uma verdade absoluta, especialmente os três últimos versos ....


The North is to South what the clock is to time/
There's east and there's west and there's everywhere life/
I know I was born and I know that I'll die/
The in between is mine/
I am mine

"Pearl Jam"

Nina disse...

Rodolfo,

Obrigada, obrigada! Precisava dessa sacudida. Seu comentário foi MUITO legal, mesmo. Nem poderia ser diferente, vindo de você! Lúcido, preciso e acertou no alvo.

beijo!

Nina disse...

Rosana,

Que bom que gostou, volte sempre!!

beijo!

Nina disse...

Alexandre,

Obrigada, pelos lindos versos e pela sensibilidade (adoro Pearl Jam!)

Aproveito e respondo com um trecho de 1º de julho, que Renato Russo fez para Cassia Eller.

"Sou fera, sou bicho, sou anjo e sou mulher
Minha mãe e minha filha,
Minha irmã, minha menina
Mas sou minha, só minha e não de quem quiser"

Às vezes eu me esqueço um pouco disso, que a responsabilidade e o poder pela minha vida estão somente em minhas mãos. Obrigada por me ajudar a lembrar.

beijo

3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Nina!!

Eu me identifico muito com seus textos tb! São tão leves e bonitinhos. Mesmo quando vc está sofrendo. Acho que a gente é desse tipo que "sofre soft", rs.

Mas me chamou mais a atenção uma frase do seu comentário que o post em si: "a melancolia do inacabado". Isso rende um novo post, não? Sei bem do que se trata esse sentimento aí.

E é meio angustiante mesmo quando a gente é tomada de assalto por esses sentimentos. Foge do controle da razão. E dá uma sensação de fraqueza, algo assim.

Mas depois que passa, uh! Fica ainda melhor.

Teu irmão faz aikido?? Onde? Onde? Me apresenta?? HAHAHAHA
Ou ele TB é casado?? rsrs

beijo!!!

Deb

Nina disse...

Debora,

Adoro seus comentários. É isso aí mesmo, eu sofro soft...

Ah, a melancolia do inacabado renderia sim, um texto. Um texto dolorido, porém, e esses são mais difíceis, porque expõem um lado que geralmente oculto... Mas quem sabe uma hora tomo coragem?Ah, mais ia adorar um texto seu sobre isso, passamos por situações parecidas, pelo que li em seus textos.

Ah, apresento sim meu irmão pra você, claro! Vou já dar o link do seu blog pra ele!
Ele é solteiro, tem 31 anos, engenheiro ambiental e mora em Floripa. Ah, escreve poemas lindos, também!
Já estou torcendo pelo romance, rs!

beijos!

Danny disse...

Não sou boa com poesias e nem com palavras, mas espero que sua melancolia passe rápido.
Fica bem tá! Bjs!
Tenha uma final de semana abençoado!

Nina disse...

Ei, Danny,

Você é sim ótima com as palavras, adoro o que você escreve!

Obrigada e muitas bençãos pra você também!

beijo

Nina disse...

Aproveitando...

O título do post é "A Roda da Fortuna" justamente porque eu sei que tudo é cíclico, tudo passa. Altos e baixos...

Ah, e e ninguém nunca me escreveu uma poesia, já me dedicaram muitas, lindas, de poetas que adoro. E eu gostei demais e divido aqui um poema lindo que "ganhei" aqui com vocês:

Soneto XVII - Pablo Neruda

NÃO TE AMO como se fosses rosa de sal, topázio
ou flecha de cravos que propagam o fogo:
te amo como se amam certas coisas obscuras,
secretamente, entre a sombra e a alma.

Te amo como a planta que não floresce e leva
dentro de si, oculta, a luz daquelas flores,
e graças a teu amor vive escuro em meu corpo
o apertado aroma que ascender da terra.

Te amo sem saber como, nem quando, nem onde,
te amo diretamente sem problemas nem orgulho:
assim te amo porque não sei amar de outra maneira,

senão assim deste modo em que não sou nem és
tão perto que a tua mão sobre meu peito é minha
tão perto que quando fecho os olhos contigo eu sonho.

3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Aaaaah, por que ele mora tão longe?? rsrsrsrs

Olha que metidinha que eu sou. Quero ser a primeira a lhe dar um poema. Então fiz um no improviso. Bem tosquinho. Só "palavras jogadas ao vento". Ou melhor: jogadas no blog.

Deb

ps: espero que você ganhe coisas bem melhores daqui em diante! haha


Menina

Poesia é o que tá lá fora
Longe do mundo das letras
O que não se diz em palavras
Um beijo roubado
Um olhar apaixonado
A gargalhada da sua menina de cachos
(Ou ela a conversar com o vento)
Um bom prato de comida
Um tombo no mar
O rir da vida

Se ainda assim
Queres um versinho
Te mando essa coisa estranha
Mas repleta de carinho

=D

Nina disse...

Deb,

QUE GENTILEZA A SUA! Digna de uma cunhada, rs!
Nossa, estou sem palavras e com lágrimas nos olhos!

beijos, vai ganhar um post!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails