"É a vida, mais que a morte, a que não tem limites."

sexta-feira, 19 de junho de 2009

EXPECTATIVAS


Nunca quis alguém pra suprir minhas expectativas. Estava em busca do encanto de descobrir necessidades que nem eu soubesse que tenho.
Não espero nada. Quero ser surpreendida. Olhar para ele e reconhecer não a mim, mas o outro. Amar as diferenças. Para construir juntos um plano de vida que se amolde ao novo de cada dia.
Sendo dois, mantendo a nossa individualidade, o que nos une é o que temos de único.
Juntos, estamos em equilíbrio
Pois é no outro que vou encontrar aquilo que não existe em mim.

7 comentários:

RMG disse...

Esse texto reavivou em minha memória a reflexão de Gibram, com a qual concordo inteiramente:

“Cada um que passa em nossa vida, passa sozinho”,
pois cada pessoa é única e nenhuma substitui a outra.
Cada um que passa em nossa vida, passa sozinho,
mas quando parte, nunca vai só nem nos deixa a sós.
Leva um pouco de nós, deixa um pouco de si mesmo.
Há os que levam muito,
mas há os que não levam nada”.

Sendo assim, não busco no outro o que me falta e não dou o que me sobra, procuro, sim, nele enxergar o que nos é comum, o que nos permite pavimentar sonhos e projetos com a conjugação do que temos de único e individual, levando do outro o que me é lícito levar e deixando sempre o que de mim posso deixar.

Acredito, assim, que desse encontro, dessa passagem, ninguém reste mutilado no que tem de verdadeiramente divino e, por isso mesmo, intangível: sua individualidade.

Caminhar, portanto, com alguém como a menina crescida de cachos, não pode ser difícil, tampouco monótono, e muito menos perigoso, dado que projeta suas expectativas naquilo que é e não no que lhe supõe faltar.

RMG

Nina disse...

RMG,

Que belas palavras! Você tem talento literário, parabéns.

Obrigada pela correção. Realmente, não é uma questão do que nos falta, ou sobra. E sim, de sermos inteiros, e desta forma, podermos buscar o outro também em sua plenitude.

Apesar das marcas que a vida nos deixa, o importante é nunca se afastar de si mesmo. Desta forma, seremos capazes de construir pontes sobre o que ficou destruído, e alcançar o outro.

BEIJO

Danny disse...

Hummmmm, será que entendi bem e vc encontrou um novo amor??? Espero que sim.
De qualquer forma amar é sempre lindo e tenho certeza que amor é o que não te falta para dar, seja pra sua linda menina de cachos (sem cachos) ou para qualquer outra pessoa. Só te desejo felicidades sempre. Bjs!

Patrícia Angélica disse...

Nina, muito lindo este texto. Todo mundo quer amar e ser amado. Mas na verdade, acho que buscamos alguém que nos complete com "aquilo" que não temos!
Tenho certeza de que vc encontrará este amor.
Beijos

Nina disse...

Danny, Patricia,

Obrigada pelo apoio!
Vou responder com palavras de alguém mais sábio do que eu:

"Amar não é cultivo de perfeição, mas o contrário. É empenho de superação de limites. É cultivo constante que nos aproxima da realidade e que nos capacita para continuarmos desejando que o outro continue ao nosso lado.
Não existe pessoa ideal, mas sim pessoa certa. A pessoa certa condensa defeitos e qualidades, e a somatória de tudo resulta uma realidade pela qual o outro se apaixona.
Essa idealização só poderá deixar de existir no momento em que as pessoas se tornarem capazes de encarar o amor como uma equação matemática.
É a somatória de defeitos e qualidades.
O resultado final é fator decisivo para saber se a relação é satisfatória ou não."
(Pe. Fabio de Melo)

beijo pra vocês!

Heloísa disse...

Nina,
Que bom que você está voltando. Seu e-mail continua o mesmo?
Como está sua menina?
Escreva para mim.
Beijos.

Nina disse...

Oi, Heloísa!

Tenho feito menos posts, mas continuo navegando, especialmente nos blogs queridos (ainda que nem sempre deixe registros da minha presença).
Mudei sim de e-mail, pode deixar que vou lhe escrever!

beijo!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails