"É a vida, mais que a morte, a que não tem limites."

domingo, 20 de fevereiro de 2011

ESCONDERIJOS


Eu nunca coube inteira dentro de mim. Transbordo. Por isso, há momentos em que preciso me recolher.
Quando pequena, eu sempre tive meus esconderijos. A casa da minha avó tinha dois corredores  laterais, pouco usados. Eu gostava de ficar ali, ouvindo o movimento da casa, espectadora. Também gostava de um canto embaixo da escada, na minha casa, ou de ler na sala que ficava sempre trancada. Adoro estar rodeada pelas pessoas que gosto, mas minha alma se alimenta de silêncios.

Hoje, meus lugares secretos estão dentro de mim. Ainda me escondo, confiando ser encontrada.

9 comentários:

Caroline Teberga disse...

eu tb tenho o meu esconderijo!!! rs

Heloísa disse...

Nina,
Gostei do "ainda me escondo, confiando ser encontrada".
Esconder-se, mas não muito.
Bjs.

Silvana Alves disse...

sempre tive os meus tbém.. e ainda tenho... dentro e fora de mim...

Danny disse...

Nunca me escondo, sou tão fácil, tão previsível, as vezes não gosto disso, queria me esconder mais e ter segredos para serem descobertos, mas sou boca aberta demais, rs.
Bjs!

Anônimo disse...

awesome, just pure awesome

3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Que venha o encontro, Nina.

Beijos, beijos,

Bela - A Divorciada

Albuq disse...

Me escondo tanto que nem me acho. bjsss

Nina disse...

Admiro tanto, tanto, tanto mas taaantoooooo gente que consegue escrever tudo e curtinho assim. Morro de inveja porque tudo meu é tao longo, aahhh que me dá raiva...

prolixa chata eu sou :-(

amei saber de ti Nininha. Se escondendo pra observar os movimentos da casa e hj querendo ser achada.

Mary Q. disse...

adorei a inquietação! é bom quando vemos também um pedacinho da gente traduzido..
no fundo, no fundo, a gente vive se escondendo com a esperança de que nos encontrem.
:)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails