"É a vida, mais que a morte, a que não tem limites."

segunda-feira, 12 de julho de 2010

A DONA DO LABIRINTO

Maze - James Jean

Em uma de nossas conversas que atravessam a madrugada, um querido me sugeriu escrever sobre Ariadne. "Recolha seu novelo, e saia desse labirinto."

É bela a história de Ariadne. Ela amou Teseu à primeira vista, ao vê-lo no palácio do pai, voluntário para enfrentar a morte que parecia certa no labirinto do Minotauro. Bonita, decidida e inteligente, propôs a Teseu uma troca: ela o ensinaria a sair do labirinto, ele a levaria para Atenas para casarem-se. Ele aceitou e recebeu dela uma espada para matar o Minotauro, e um fio para encontrar o caminho de volta do labirinto. Segurando uma das pontas, ela o esperava na saída, quando ele retornou, vitorioso.
Mas Teseu não a amava, e a deixou, adormecida, em uma ilha no caminho de volta para Atenas. Abandonada, só, Ariadne se desespera ao acordar. Tocada por sua tristeza, Afrodite promete a ela um amor imortal. Esse amor materializa-se em Dionísio, que estava na mesma ilha e apaixona-se por Ariadne. Deus do prazer, do vinho, das festas, eles se amam enquanto dura sua vida mortal, numa celebração do amor e da alegria de viver. Após sua morte, o deus transforma a coroa que dera a Ariadne no casamento em uma linda constelação.

Há muitas e belas interpretações sobre esse mito, e meu querido gostaria que eu me lembrasse que é possível refazer nossas escolhas e aceitar os presentes que a vida nos dá. O que é verdade. Mas eu vou além. O que me chama a atenção na história é a presunção inicial de Ariadne, ao acreditar que poderia se fazer correspondida em seu amor por Teseu. Bonita, inteligente, amável, apaixonada, por que estaria ela errada? Porque o amor, como disse o poeta, é dado de graça. Não se troca. Amor é incondicional. Por isso, não condeno Teseu. Talvez ele próprio tenha querido amá-la... E foi ele, afinal, o fio que a conduziu ao amor de Dionísio. 

Somos todos, ao final das contas, condutores e conduzidos, perdidos em algum momento em nossos labirintos, esperando pelo amor que nos guie e nos resgate para a celebração da vida.


As sem-razões do amor


Eu te amo porque te amo,
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabes sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque não amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

(Carlos Drummond de Andrade)

21 comentários:

Anônimo disse...

Como me encanta a inteligência feminina.

Salve Ariadne, imortalizada em sua constelação, salve a menina grande de cachos que se imortaliza em sensibilidade.

Que venham os labirintos e que Deus me reserve uma Ariadne ou uma menina grande de cachos!

Anônimo disse...

Não foi um comentário... mais que isso, um desejo, um propósito.

Nina disse...

Anônimo,

está, com certeza, reservada, quer seja você onde ela se perca, ou se encontre.

“Nosso belo dever é imaginar que há um labirinto e um fio. Nunca daremos com o fio; talvez o encontremos para perdê-lo em um ato de fé, em uma cadência, no sonho, nas palavras que se chamam filosofia ou na pura e simples felicidade."
(Jorge Luis Borges, o mestre dos labirintos)

Obrigada pelo comentário!

Beijo

Nina disse...

Anônimo,

Que se cumpra seu desejo, seu propósito, com a força do que está predestinado.

Anônimo disse...

Parabéns! Você é especial. Não conheço muitas mulheres que não se voltem contra Teseu.

um beijo

3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Lindo!!!! Vou até colocar o link no Twitter do blog, para que mais gente leia.

Acredita que eu quase me chamei Ariadne? Minha mãe adora essa história. Linda mesmo.

Beijão,

Bela - A Divorciada

Nina disse...

Anônimo 2,

Obrigada,

bjo


Bela,

Obrigada! Que honra!
A história é linda mesmo, e Ariadne é um belo nome!

bjo

Ana disse...

Linda história e lindo o texto. E eu já estava olhando Teseu com maus olhos antes de ler o seu comentário, e não tinha me atentado ao fato da presunção de Ariadne.
É tão bom olhar uma mesma história de diversas perspectivas.

Adorei o blog.

Beijos

Albuq disse...

Oi Nina!!!

Vim te ler através da propaganda no Twitter das meninas do 3x30.
Simplesmente me apaixonei, que texto fabuloso, sem falar que sou super suspeita prá falar porque tenho uma verdadeira admiração por mitologia.

O interessante dessa história é que a descoberta de Cnossos, a cidade Grega, onde Ariadne morava, foi descoberta a partir desse mito, porque a cidade é semelhante ao labirinto e levou Arthur Evans a acreditar que todo o mito foi real.

Muito lindo seu blog, e ótimo texto.
bjs

Andarilho disse...

Hmmm, eu ainda continuo achando que Teseu foi meio safado nessa. Mesmo que tenha um 'final feliz'.

Nina disse...

Ana,

Obrigada pela visita, pelos comentários, volte sempre!
Pois é, eu acho que amor não se exige.

bjo

Albuq,

Que bom que veio! Obrigada pelas palavras! Sim, há provas históricas da existência de um Rei Minos, e do domínio de Creta sobre Atenas. Uma honra que você, entendida de mitologia, tenha gostado do texto! Volte sempre!

bjo

Nina disse...

Andarilho,

Eu não aprovo o comportamento de Teseu, mas acho que ele ficou sem alternativas. Ariadne condicionou a ajuda à promessa de casamento. Que mais ele poderia fazer? Eu acredito mesmo, sabe, que amor é dado de graça, e incondicional. (O que não quer dizer que eu aceite traições!)

bjo

Arlete disse...

Nina,

Adorei a história e o blog todo!
Parabéns!

Arlete

LAÍS disse...

Nossa, seu blog é lindo demais ! Parabens, é muito sensivel, muito delicado! Voltarei sempre :)

Beijocassss

Nina disse...

Arlete, Laís,

Muito obigada! Voltem mesmo, sempre!

beijo

rotascapixabas disse...

Mais uma demonstração de sensibilidade sua, Nina, como já é de praxe em seus textos.
Parabéns!
Tiago

Nina disse...

Tiago,

Obrigada! Elogios capixabas valem muito.

bjo

martafilipa disse...

é verdade,é muito verdade!
Amor é simplesmente amor,aquilo que sentimos e que nao podemos mudar :)
beijinhos

Nina disse...

Oi, Marta!

Estou gostando muito dos seus comentários, volte sempre! Você tem razão quanto ao amor. Amor é.

Bj

Christina disse...

coisa mais linda essa ilustração... de quem é? sua?

Nina disse...

Christina,

Obrigada por perguntar! Tenho o péssimo hábito de colecionar ilustrações e fotos da internet sem registrar a fonte...
Nesse caso, essa ilustração é de um artista famoso, James Jean. Segue o link para o site dele:

http://www.jamesjean.com/work/2008/Maze/1

Beijo, volte sempre

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails