"É a vida, mais que a morte, a que não tem limites."

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

AMOR, MÚSICA E POESIA

Começou antes de começar, em uma conversa. Eu disse que estava ouvindo uma música, falei um trecho. Depois mandei o vídeo, ele copiou. E deixou outro para mim.
E assim, ele começou a me contar por músicas o que sentia. Dizer nas entrelinhas. Cada dia um vídeo novo. Às vezes mais de um. Eu respondia da mesma forma. Nossas canções conversavam entre si. Ao invés de termos "a nossa música", tivemos toda uma trilha sonora, linda.

Às vezes, ouvir essas músicas é como cantou Herbert Vianna; "cada canção de amor abre a ferida". Mas na maioria das vezes sinto-me cúmplice das palavras e melodias, dona de um segredo bonito. Foram meus aqueles sons, aqueles sentimentos e aquela história, que agora se mistura a outras para formar o grande mar que é minha vida.

Também ganhei alguns poemas dele. Divido um deles com vocês:



Aquí te amo.
En los oscuros pinos se desenreda el viento.
Fosforece la luna sobre las aguas errantes.
Andan días iguales persiguiéndose.

Se desciñe la niebla en danzantes figuras.
Una gaviota de plata se descuelga del ocaso.
A veces una vela. Altas, altas estrellas.

O la cruz negra de un barco.
Solo.
A veces amanezco, y hasta mi alma está húmeda.
Suena, resuena el mar lejano.
Este es un puerto.
Aquí te amo.

Aquí te amo y en vano te oculta el horizonte.
Te estoy amando aún entre estas frías cosas.
A veces van mis besos en esos barcos graves,
que corren por el mar hacia donde no llegan.

Ya me veo olvidado como estas viejas anclas.
Son más tristes los muelles cuando atraca la tarde.
Se fatiga mi vida inútilmente hambrienta.
Amo lo que no tengo. Estás tú tan distante.

Mi hastío forcejea con los lentos crepúsculos.
Pero la noche llega y comienza a cantarme.
La luna hace girar su rodaje de sueño.

Me miran con tus ojos las estrellas más grandes.
Y como yo te amo, los pinos en el viento, quieren cantar tu nombre con sus hojas de alambre.


Todas as músicas, de mim para ele e dele para mim, aqui . Fiz um blog só para a nossa trilha.

4 comentários:

Danny disse...

Estou sentindo vc tão triste últimamente, parece saudosa. Espero que vc esteja bem! As vezes ficamos assim, com saudades de algum tempo que não volta mais, mas temos toda uma vida pela frente para escrever novos poemas e montar novas trilhas sonoras.
Um beijo flor e fica com Jesus!

Nina disse...

oi, Danny!

Obrigada pelas palavras!
Mas fique tranquila... Não vivo no passado não, embora o visite algumas vezes!
Na verdade, esse texto foi bem pra me lembrar de não reclamona, rs, que já tive montes de coisas boas na vida e outras virão!!

beijo!

naninha disse...

É isso ai Nina... lembrar é sempre bom... se agente consegue entender que o passado bom é um trampolim para um futuro melhor ainda...

Delicia recordar coisas boas...

Nao tme jeito... as lembranças fazem parte de nós mesmo... sempre... não tem como, nem porque fugir... tem que usar a nosso favor!

rsrsr

Nina disse...

Oi, Naninha,

Belas palavras, obrigada!

Triste mesmo é viver sem memória, não é?

beijo!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails